Quer ter uma piscina em casa? Veja 7 coisa que você precisa saber antes

1. É muito caro construir e mantê-la?
Não é possível dizer com exatidão o valor de construção de uma piscina. E Todo equipamento
necessário para limpeza e manutenção da piscina tem o seu custo e, uma vez que essa
conservação é contínua, também as despesas serão fixas.
Há tarefas que podem ser realizadas por conta própria, mas, se você preferir contratar os
serviços de uma empresa de manutenção para revisar os níveis de PH, cloro, realizar a troca
da areia do filtro, saiba que isso tem custos, em alguns casos muito elevados.

2. Quais são os tipos mais comuns?
– Concreto e alvenaria;
– Fibras de vidro;
– Vinil.

3. Preciso obter o relatório de teste do solo antes da construção?
Sim! É imprescindível ter total conhecimento do solo no qual se deseja instalar a piscina,
principalmente caso a piscina seja de azulejos. Tal teste é realizado por profissionais.

4. Qual o melhor posicionamento no terreno?
É importante escolher um lugar que bata sol na maior parte do tempo, e observar onde a
privacidade será maior, com relação aos vizinhos. Evite regiões com raízes de árvores ou
plantas, que dificultam a escavação ou levantam o solo provocando futuras imperfeições na
piscina. E tente não posicionar ela perto de árvores que soltam muitas folhas.

5. É seguro ter iluminação na piscina?
Fazendo sempre com a orientação de um profissional e uma equipe especializada, iluminação
na piscina não só é segura como muito charmosa. O projeto luminotécnico nessa área garante
uma atmosfera moderna, aconchegante e facilita o aproveitamento noturno.

6. Qual é a profundidade mínima e máxima da piscina?
A profundidade mais indicada para piscinas residenciais varia entre 0,60m a 1,50m. Mais
importante do que a profundidade é a escolha dos acabamentos que precisam ser adequados
e seguros, como revestimentos antiderrapantes, laváveis e com inclinação suave, para
preservar o sistema de drenagem.

7. Com que frequência preciso fazer manutenção na piscina?
A manutenção da piscina requer muita paciência, disponibilidade e trabalho, exigindo tarefas

diárias, semanais, mensais, bimensais, semestrais e anuais que têm de ser executadas para
assegurar o pleno funcionamento e a longevidade da piscina. Em especial as que são em céu
aberto.
Pegue seus óculos de Sol e tenha um ótimo proveito.

Principais características e benefícios do coletor de Piscinas Trópicos

O coletor solar da linha New Trópicos é ideal para todos os tipos de piscina. Desenvolvido com material sustentável, 100% seguro, de fácil instalação e alta durabilidade, o equipamento ainda possui selo Procel por sua classificação A, que garante mais economia ao consumidor. Diversão e lazer por muito mais tempo.

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS E BENEFÍCIOS:

  • Não reage com o cloro e outros produtos químicos;
  • Fabricados com material atóxico em polipropileno (tubos de plástico totalmente resistentes);
  • Leve e flexível;
  • Baixo custo de manutenção;
  • Fácil montagem, sem necessidade de solda;
  • Resistente à corrosão e intempéries;
  • Projetado para trabalhar com altas vazões, gerando maior eficiência;
  • Possui grande área de absorção de energia solar;
  • Fabricado em diferentes tamanhos;
  • Produto reciclável, contribui com a preservação do meio ambiente.

Ranking nacional coloca RS como segundo maior potencial para microgeração de energia solar. (fonte Gaúcha ZH)

No último mapeamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), o Rio Grande do Sul apareceu em segundo no ranking nacional de potência instalada em sistemas de microgeração e minigeração solar fotovoltaica. A classificação inclui residências, comércios, indústrias, produtores rurais e prédios públicos.

São mais de 50 megawatts aqui no Estado, que representam 14% do total do país. O primeiro lugar fica com Minas Gerais, com 78 megawatts no levantamento, mas com mais de 110 megawatts conforme a última atualização dos registros da Agência Nacional de Energia ElétricaNo caso do Rio Grande do Sul, já beira os 60 megawatts.

Quanto ao número de unidades geradoras, o Rio Grande do Sul tem 4,7 mil. Nesta comparação, fica em terceiro no ranking nacional, atrás de Minas Gerais e São Paulo.

Em potência instalada, os consumidores dos setores de comércio e serviços lideram o uso da energia solar, diz a Absolar. Já em número de sistemas instalados, os consumidores residenciais estão no topo da lista.

A redução no custo do sistema nos últimos anos tem impulsionado a geração de energia solar. Além disso, consumidores estão querendo fugir dos aumentos de dois dígitos na conta de luz. 

Fonte: https://gauchazh.clicrbs.com.br/colunistas/giane-guerra/noticia/2018/09/ranking-nacional-coloca-rs-com-segundo-maior-potencial-para-microgeracao-de-energia-solar-cjlza2t8002o701pxntrnntod.html

Como funciona a Energia Solar para Empresas?

Optar por produzir energia solar garante benefícios ao meio ambiente e ainda é uma excelente
ferramenta de marketing, já que os consumidores costumam ver com bons olhos as empresas
que adotam posturas mais sustentáveis.
A energia gerada através dos módulos solares, representa uma fonte de energia complementar
à energia da distribuidora ao qual o usuário está conectado, são sistemas que geralmente não
utilizam armazenamento de energia, pois toda energia gerada pelos módulos solares
fotovoltaicos, é entregue à rede elétrica instantaneamente.
O Sistema fotovoltaico conectado à rede é sincronizado com a energia elétrica da distribuidora,
assim, quando falta energia da distribuidora, por questões de segurança, o sistema fotovoltaico
se desliga automaticamente.
Objetivo: Redução da dependência e consumo da energia elétrica da distribuidora,
substituindo-a por uma fonte de energia limpa, gratuita e inesgotável.
É preciso seguir algumas etapas, para poder garantir que o sistema está seguro e realmente
vai produzir energia. Veja a seguir quais são as fases envolvidas no processo de instalação de
um sistema de energia solar:
1. Solicitar o acesso para a concessionária de energia local e aguardar o parecer de acesso.
2. Contratar uma empresa responsável que instale os painéis e o sistema da melhor forma.
3. Solicitar à concessionária uma vistoria total ao sistema de energia solar instalado. A vistoria
pode demorar até 30 dias. Após a vistoria, a concessionária tem até 15 dias para entregar o
relatório de vistoria e indicar possíveis alterações e melhorias.
4. Depois de corrigir todas as falhas ou implementar as melhorias indicadas pela
concessionária de energia local, é preciso solicitar a aprovação do ponto de conexão, a
concessionária tem até 7 dias para aprovar o ponto de conexão e trocar o medidor de energia.

História da Energia Solar

A energia solar é a conversão da luz do sol em eletricidade – hoje, já é chamada popularmente de energia fotovoltaica. Ainda que atualmente já existam estimativas de que a energia solar irá se tornar a maior fonte mundial de eletricidade em 2050, essa tecnologia tem origem há quase 200 anos. Nas últimas duas décadas, a energia fotovoltaica (PV) evoluiu de um nicho de mercado para ficar acessível a toda população.
Para falar da história da energia solar, precisamos voltar ao início do século 19. Nessa época, a luz solar já servia de fonte de energia para fazer fogo e aquecer casas e água. Um pouco depois, já no final dos anos 1800, o físico francês Alexandre Edmond Becquerel observou pela primeira vez o efeito fotovoltaico. Isso ocorreu enquanto Edmond realizava algumas experiências com eletrodos. Oficialmente, foi ele quem criou a energia solar p os registros levam a crer que isso ocorreu em 1839.
Durante a era chamada era moderna da história da energia solar, que teve início em 1954, Calvin Fuller, um químico norte-americano, desenvolveu o processo de dopagem do silício. Fuller dividiu a sua descoberta com o físico Gerald Pearson, que melhorou o experimento. Pearson descobriu que a amostra exibia um comportamento fotovoltaico e partilhou a descoberta com Daryl Chapin.
As primeiras células fotovoltaicas produzidas tinham alguns problemas técnicos. Mas eles foram solucionados pela química. Isso quando Fuller dopou silício com arsênio e depois com boro, obtendo células que exibiam eficiências recorde. A primeira célula solar foi formalmente apresentada em uma reunião anual da National Academy of Sciences, em Washington. E anunciada numa coletiva de imprensa no dia 25 de Abril de 1954.
Nos últimos anos, as vantagens econômicas envolvendo a energia solar passaram a ter muito peso, além dos benefícios ao ambiente. O mercado de energia proveniente do sol também sofreu grandes quedas de preço de equipamentos. Isso resultou em acessibilidade na instalação de sistemas solares pela população. Com certeza, esses avanços foram muito além do que Alexandre Edmond, quem criou a energia solar, imaginou enquanto realizava seus primeiros experimentos com eletrodos.
Ainda não vivemos no ápice da história da energia solar. Por outro lado, os sistemas solares fotovoltaicos já oferecem diversas vantagens e representam uma excelente alternativa para a geração de energia em diversos lugares. Desde residências até grandes indústrias, a energia fotovoltaica já é uma realidade. E surge como alternativa para economia na conta de luz e contribuição para a preservação dos recursos naturais.

Benefícios da Energia Solar nas Instituições de Ensino

A energia solar nas instituições de ensino traz inúmeros benefícios para escolas e universidades. Antes vista como cara, a fonte de luz do sol é cada vez mais acessível e o retorno sobre o investimento acontece em pouco tempo. Além disso, a instalação, o funcionamento e a manutenção são simples e práticos. Abaixo, destacamos algumas das vantagens dessa tecnologia. Confira!
Responsabilidade social e ambiental
O mundo mudou e a própria sociedade exige uma atitude socioambiental proativa por parte das empresas. Dessa forma, é cada vez mais comum encontrarmos organizações sustentáveis, que adotam práticas que minimizem o impacto ambiental de suas atividades.
No caso das instalações de placas solares fotovoltaicas nas instituições de ensino, a lógica é a mesma. Além da economia na conta de luz, essa prática também reflete no contexto pedagógico. Uma vez que passam a entender o funcionamento de um sistema que gera energia limpa, eficiente e barata, professores e alunos também compreendem que as práticas sustentáveis são economicamente viáveis e muito importantes para a preservação do planeta. Assim, com o uso inteligente dos recursos naturais, a escola ou universidade se torna uma instituição muito mais competitiva e com práticas alinhadas à sua missão.
Redução de gastos e novos investimentos
Independentemente se é um pequeno colégio ou um grande campus universitário, a conta de luz sempre pesa no bolso dessas instituições. Infelizmente, uma parte considerável dos orçamentos mensais é voltada para arcar com os custos de energia elétrica.Com a instalação de um sistema de geração de energia limpa, as escolas e universidades passam a ter uma economia considerável. Elas podem, inclusive, produzir a mesma quantidade de energia que é gasta todos os meses.Com os custos reduzidos, é possível realizar novos investimentos em diversas questões essenciais para o crescimento das instituições.
Valorização do espaço
Se você fosse investir em uma escola ou faculdade, qual escolheria: um estabelecimento com um sistema fotovoltaico, que gera energia limpa e renovável, ou um local que paga caro na energia fornecida pela distribuidora?
Provavelmente, você escolheria a primeira opção, não é verdade? Então, só de o local gerar energia solar, já passa a ser mais valorizado e isso pode ser uma ótima vantagem na hora de vendê-lo.
Manutenção barata
Mais uma questão que faz com que os sistemas de energia solar sejam econômicos é o seu baixo custo de manutenção. Naturalmente, os valores variam conforme o tipo e o tamanho do sistema, mas, como não existem partes móveis e a chuva acaba fazendo papel de limpar os painéis, os gastos reais com a manutenção acabam se tornando muito pequenos.
Dessa forma, lembre-se de que, apesar de nos dias de chuva o sistema gerar menos energia, a água estará limpando e contribuindo para que a tecnologia tenha um melhor desempenho nos dias de sol.
Como você pôde perceber, a energia solar nas instituições de ensino é uma tendência que não para de crescer no país e no mundo. Diversos projetos já demonstram ter ótima viabilidade financeira e a capacidade de escolas e universidades criarem soluções próprias para reduzir o impacto da crise energética.
Portanto, se você acha que é o momento de contar com um sistema de energia de solar em sua escola ou universidade, faça contato com a gente. Estamos preparados para tirar suas dúvidas e ajudá-lo a tomar as melhores decisões.

Horário de Verão e Painéis Solares

Se o horário de verão já é um período ideal para economizar energia, a combinação dessa época com a utilização de painéis solares para transformar a radiação do sol em eletricidade é o casamento perfeito, ainda mais em um país como o Brasil.
O horário de verão
Ele tem como principal objetivo aproveitar os solstícios de verão para economizar energia nos países mais distantes da Equador. O fenômeno transforma os dias no hemisfério sul maiores do que as noites, principalmente nos últimos dias do ano.
Essa luminosidade extra faz com que liguemos menos as lâmpadas e, consequentemente, gastamos menos energia. O horário de verão funciona como uma espécie de “relógio” que ajusta o solstício à rotina das pessoas, fazendo com que elas aproveitem mais a luz solar, diminuem a sobrecarga nos tradicionais horários de pico e, consequentemente, o trabalho nas usinas de produção de eletricidade.
Mas se já economizamos energia no verão, por que os painéis solares ainda são necessários?
Simples: para a economia ser realmente sentida em nosso bolso. Afinal de contas, a conta de energia elétrica sobe ainda mais no verão, principalmente por conta do aumento do uso do ar condicionado nas casas, empresas e indústrias. Se por um lado deixamos a luz apagada no verão, por outro, necessitamos nos refrescar mais, inclusive à noite.
Implantar o sistema fotovoltaico, com painéis solares, portanto, torna-se um grande benefício para os usuários. Isso porque a principal matéria-prima para a produção de energia elétrica encontra-se em abundância em nosso país: o Sol.
E esses benefícios podem ser aproveitados em nossas casas com a instalação de painéis solares, não precisando esperar por decisões governamentais.
A energia fotovoltaica, além de todos os outros benefícios, pode proporcionar uma economia de até 95% na conta de energia, de forma limpa e extremamente eficiente, trazendo vantagens para pessoas, empresas, indústrias e agricultura: é o Sol trabalhando em nosso favor.
Diante disso, podemos concluir que o horário de verão é benéfico, sim, para a economia do país, mas só sentiremos de verdade esse fator quando nós mesmos adotarmos medidas para captar a nossa própria energia com a ajuda dos painéis solares.

Crescimento da energia solar no brasil

O Brasil possui um potencial enorme de geração de energia solar, uma fonte limpa e renovável, principalmente por questões climáticas e de irradiação solar em grande parte do território nacional.
A geração de energia solar deu um salto nos últimos anos, graças ao investimento do setor privado. Segundo os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em 2016, existiam 45 usinas de geração de energia solar. Em 2017, outras 36 foram instaladas. Outras 28 usinas ainda estão em construção e devem entrar no sistema este ano ainda.
O preço dos painéis caiu e a eficiência de geração dessas placas aumentou. Tudo isso, tornou o cenário da geração de energia solar no Brasil ainda mais atraente.
Iniciativas do governo
O Governo está criando uma série de ações para incentivar a geração própria em residências e estabelecimentos comerciais. Uma delas está ligada a linhas de financiamento em bancos públicos com facilidades nos prazos de pagamento e juros mais baixos.
Segundo dados da Absolar, empresa que representa o setor da energia solar no Brasil. O Brasil possui 24.565 sistemas de mini ou micro geração distribuída, sendo que mais de 99% são baseados em placas fotovoltaicas.

Veja as vantagens de ter uma piscina em casa

Quem nunca sonhou em ter uma piscina em casa? Além de ser uma excelente opção de lazer para os finais de semana, ela pode valorizar o imóvel.
– Diferente de países com climas mais frios, como os da América do Norte e a Europa, o Brasil possui uma temperatura mais elevada durante vários meses do ano, o que nos possibilita usufruir da piscina quase o ano inteiro;
– A privacidade talvez seja a melhor das vantagens. Além de poder usá-la a qualquer hora, você não precisa frequentar lugares de uso coletivo que possuem regras de utilização e comportamento;
– O visual que a piscina proporciona a uma residência é encantador. Ela chama a atenção de modo positivo e pode servir como parte da decoração do ambiente, principalmente se ela estiver próxima ao jardim;
– A higiene e a segurança ficam por conta do proprietário, por isso, não há a preocupação quanto aos produtos utilizados na sua manutenção;
– Pode servir como estímulo para a prática de exercícios físicos regulares;
– Agrega valor a sua festa. Um simples churrasco ou comemoração passam a ser mais atrativos e divertidos, quando realizadas na beira de uma piscina.
E aí, você ficou com vontade de ter piscina em casa?

Sistemas fotovoltaicos e sua baixa manutenção

Os sistemas fotovoltaicos tem baixa manutenção de custo, fazendo você ter uma boa economia quando for fazer a manutenção necessária.
Os sistemas fotovoltaicos são fáceis de instalar. Não são necessárias alterações estruturais no local. Os módulos fotovoltaicos, na maioria dos casos, são instalados no telhado, o inversor de frequência pode ser instalado em qualquer área coberta e o cabeamento geralmente aproveita as tubulações elétricas já existentes.
Com duração média estimada de 30 anos, os painéis solares fotovoltaicos, uma vez instalados, demandam pouca manutenção. As estruturas de geração de energia funcionam a partir de uma tecnologia independente, baseada na captação de radiação solar.
Isso reduz a necessidade de processos mecânicos e substituições de equipamentos por um tempo considerável. Assim, um mesmo imóvel pode ser abastecido de energia por muitos anos, precisando apenas de eventual acompanhamento técnico.